CLICK E DÊ UMA OLHADINHA

A HISTÓRIA DA PÁSCOA CRISTÃ



O QUE VOCÊ TEM ENSINADO?

 O QUE É A  PÁSCOA?

Êxodo 12: 26 - "E acontecerá que, quando vossos filhos vos disserem: Que culto é este?"




O que você tem ensinado sobre a páscoa?





A HISTÓRIA DA PÁSCOA

    Os descendentes de Abraão, Isaque e Jacó passaram quatrocentos e trinta anos escravizados no Egito (Êxodo 12: 40). Deus decidiu libertá-los dessa escravidão e Moisés foi o escolhido para libertar o povo, sendo, então, o líder do êxodo.
    Devido a dureza do coração de Faraó que não queria deixar o povo ir, vieram 10 pragas sobre o Egito. As pragas começaram a ser lançadas, mas assim que se cessavam Faraó continuava mantendo-se contra a vontade de Deus. 


     Na décima e última praga Deus enviou um anjo destruidor sobre a terra do Egito a fim de matar todo primogênito: “E eu passarei pela terra do Egito esta noite e ferirei todo primogênito na terra do Egito, desde homens até aos animais; e sobre todos os deuses do Egito farei juízos. Eu sou o SENHOR.” (Ex. 12.12).







         Como os israelitas também estavam no Egito, o Senhor  enviou uma ordem ao seu povo. Cada família deveria tomar um cordeiro macho de um ano de idade, sem defeito, e sacrificá-lo ao entardecer do dia quatorze do mês de Abibe; as famílias menores poderiam dividir um único cordeiro. Parte do sangue do cordeiro sacrificado deveria ser passada nas ombreiras e na verga da porta de cada casa. 

      Assim, o anjo, ao passar por aquela terra, passaria por cima daquelas casas que tivessem o sangue sobre elas – daí o termo Páscoa, do hebreu pesah, que significa “pular além da marca”, “passar por cima” . Assim, os israelitas foram protegidos da morte, através do sangue do cordeiro morto.
       
NOSSA PÁSCOA

O CORDEIRO DE DEUS  QUE TIRA O PECADO DO MUNDO 

João 1:29




















        É importante ressaltar que Deus ordenou o sinal de sangue não porque Ele não era capaz de identificar seu povo, mas porque queria ensinar a eles sobre a importância da obediência e da redenção pelo sangue, preparando-os para o advento do “Cordeiro de Deus”, que séculos mais tarde tiraria o pecado do mundo.

        Naquela noite os israelitas deveriam estar preparados para viajar. Deveriam assar o cordeiro, preparar ervas amargas e pães sem fermento (na Bíblia, o fermento simboliza, normalmente, o pecado e a corrupção; esses pães asmos simbolizavam a separação entre os israelitas redimidos e o Egito). O povo deveria estar pronto para a refeição ordenada ao anoitecer, a fim de partir apressadamente. Assim se fez, tal como o Senhor dissera.



       O povo de Deus, a partir desse momento da história, passou a celebrar a Páscoa em toda primavera, já que as instruções divinas relatavam ser essa celebração um “estatuto perpétuo”, conforme o livro de Exodo 12.14: 
“E este dia vos será por memória, e celebrá-lo-eis por festa ao SENHOR; nas vossas gerações o celebrareis por estatuto perpétuo.” 

Êxodo 12: 25 ao 27

    "E acontecerá que, quando entrardes na terra que o SENHOR vos dará, como tem dito, guardareis este culto.
E acontecerá que, quando vossos filhos vos disserem: Que culto é este?
     Então direis: Este é o sacrifício da páscoa ao SENHOR, que passou as casas dos filhos de Israel no Egito, quando feriu aos egípcios, e livrou as nossas casas. Então o povo inclinou-se, e adorou." 

       Assim, em cada páscoa, os israelitas, juntamente com suas famílias, sacrificavam um cordeiro, retiravam de suas casas todo fermento e comiam ervas amargas e contavam a história de seus ancestrais, de como viveram o êxodo na terra do Egito e a libertação da escravidão ao Faraó – era dever dos pais usar a Páscoa para ensinarem aos filhos a verdade sobre a redenção da escravidão e do pecado, que Deus efetuara em seu favor e que através disso fez deles um povo especial sob seus cuidados.

     Nos tempos do Novo Testamento, os judeus (israelitas) observavam a Páscoa da mesma maneira.
     Jesus, aos doze anos de idade, foi levado a Jerusalém por seus pais para a celebração da Páscoa (Lc 2.41-50), posteriormente, Jesus participou dessa celebração em Jerusalém a cada ano. 
a ceia do Senhor
       
    A última ceia de que Jesus participou com seus discípulos em Jerusalém, pouco antes da cruz, foi a refeição da Páscoa.

    Para os cristãos, a Páscoa tem o propósito de lembrar a salvação em Cristo e da redenção do pecado e da escravidão a Satanás, pois Jesus foi crucificado na Páscoa, como cordeiro pascoal.


Limpai-vos, pois, do fermento velho, para que sejais uma nova massa, assim como estais sem fermento. Porque Cristo, nossa páscoa, foi sacrificado por nós. 

1 Coríntios 5:7


Bíblia de Estudo Pentecostal – Antigo e Novo Testamento,






Versão de Impressão e PDF

3 comentários:

Ângela Melo disse...

Oi, vim conhecer seu blog e retribuir sua visita. Quero dizer que amei tudo o que vi por aqui. Estou te seguindo e quero te desejar uma linda semana. Bjs

Amanda Lemos disse...

Gostei muito do que vi !
Muito difícil encontrar espaços bacanas como este :_)

Deixo o meu aqui caso queira dar uma olhada,

http://bolgdoano.blogspot.com.br/

Agradeço desde já !

Lucimar da Silva Moreira disse...

História maravilhosa parabéns Cris, Cris tem post novo lá na lucimar virtual se quiser dá uma conferida é só clicar no link abaixo, fique com Deus beijos.
Links:

Estrela da Manhã

Lucimar Virtual

Divulgue seu blog no face

CLICK E CONHEÇA

Elo7

Elo7 clique e conheça

Gostou do blog compartilhe:

Share
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
Tecnogospel: Os melhores links evangélicos

COMUNICADO:

No caso em que haja algum problema com material protegido por direitos autorais, a quebra dos direitos de autor não é intencional, nem comercial. Neste caso, favor me comunicar, deixando um comentário, para que eu possa adicionar os créditos ou retirar o material. Grata, Cristina Manhães.




ARQUIVO DO BLOG

MEU CANAL



ACESSE - CLICK  AQUI

SIGA NO TWITTER